Dicas de outros cuidadores informais

Cuidar de outra pessoa pode mudar a sua vida e fazer-se acompanhar de emoções que nunca tinha experimentado antes. Há pessoas que acham que cuidar de alguém que lhes é próximo é da sua responsabilidade e de mais ninguém. Talvez não se sintam à vontade para pedir ajuda e achem que mais ninguém pode prestar um serviço assim tão bom, ou pode ser até que a pessoa de quem cuidam não queira mais ninguém. Cada situação é diferente, mas muitas pessoas vêm as suas emoções balançar entre o amor e a satisfação de ajudar e o ressentimento pelo impacto nas suas vidas. Isto pode levar a sentimentos como a culpa, o stress, a raiva e a exaustão. Admita o que sente e fale do assunto a um amigo ou a um grupo de apoio.

Não há nada de errado em pedir ajuda

Os amigos e a família podem ajudar e apoiar muito, por isso não pense que ajudá-lo os incomoda. O mais provável é que admirem o que faz e que fiquem satisfeitos se puderem ajudar. Não é fraqueza pedir; pode até proporcionar um tempo de inactividade necessário para se tornar num melhor prestador de cuidados.

Peça a membros da família que cuidem de determinadas tarefas domésticas ou que ajudem durante determinadas alturas da semana. O melhor é perguntar quando a família está reunida, uma vez que é mais provável que mais gente se prontifique por ver outros a fazê-lo. Crie uma espécie de folha de serviço para apontar aquilo que toda a gente prometeu fazer e diga às pessoas que se podem juntar em pares se não se sentirem capazes de darem conta do recado sozinhas.

Aceite ajuda de amigos. Se você não puder ir às compras e eles forem, certamente não lhes irá custar trazer-lhe o que precisa. Podem até ajudar nas tarefas domésticas, como cortar a relva. Lembre-se de que nem toda a ajuda dos amigos tem de estar directamente relacionada com a pessoa a seu cargo. Cada contribuição pode permitir-lhe ter mais tempo livre.

Partilhe o que corre bem e o que corre mal

Todos nós sabemos que há altos e baixos quando se cuida de alguém com incontinência. Há momentos de dificuldade, momentos de humor e momentos em que se percebe que proporcionar os melhores cuidados possíveis é um privilégio muito gratificante. Partilhar estas coisas irá ajudar e dar força a outras pessoas em situações semelhantes, para além de o ajudar a manter o sentido de equilíbrio. Reuna a família ou os amigos que o ajudam uma vez por semana ou por mês. Ao estarem a partilhar altos e baixos, podem criar uma forte rede de apoio, desabafando num ambiente compreensivo. E não se esqueça de que pode sempre usar o <fórum de discussão> para partilhar os seu relatos ou desabafar um pouco. Garantimos o anonimato e as suas experiências podem mesmo ajudar outras pessoas.

Canalize a raiva e a frustração

A pessoa de quem cuida pode ficar frustrada com ela própria e descarregar em si. Se isso acontecer, lembre-se que ela nunca escolheu depender de si. Foi forçada a isso e essa situação pode deixá-la desanimada. Tente direccionar a sua raiva para o estado de saúde da pessoa de quem cuida e não para a própria pessoa. Às vezes trazer uma terceira pessoa pode ajudar a dissipar a tensão e a partilhar o fardo.

Escreva

Uma das terapias melhores e mais antigas para lidar com os altos e os baixos é escrever tudo. Talvez seja este o motivo por que manter um diário é uma tradição tão antiga. Tudo bem, depois de um dia difícil, é natural que se sinta demasiado cansado para escrever uma novela. Contudo, uma vez por semana, por que não tentar escrever uma lista com o que correu bem e mal para si. Olhe para os pontos positivos e pense como estes o podem ajudar na semana seguinte. Depois, olhe para os negativos e veja como os pode minimizar. Pode ser que fique com umas ideias ao olhar para o nosso fórum de discussão.

Ponha a sua saúde em primeiro plano

Não ceda neste ponto, um bom prestador de cuidados tem de estar sempre em forma, por isso aprenda a perceber quando está em baixo de forma e tome medidas para se manter saudável. É fácil negligenciar coisas como o que se come quando se trata de outra pessoa, o tempo voa e as refeições são sempre feitas à pressa. Por isso tente fazer três refeições sólidas por dia. Vai ter mais energia e sentir-se muito melhor na sua pele.

Uma pausa faz toda a diferença

Se as coisas se acumularem todas para si, não se culpe. Tome o tempo que for preciso para se adaptar às novas responsabilidades e às novas formas de fazer as coisas. Em particular, é fundamental fazer pausas regulares entre os cuidados que presta. Congratule-se por fazer um excelente trabalho e, o mais importante, faça uma pausa de vez em quando, você merece.

Um pouco de ar fresco

Pode soar a qualquer coisa que a sua avó dizia, mas a verdade é que nada substitui um pouco de ar fresco (se o tempo o permitir). Até mesmo 5 minutos à volta do quarteirão pode elevar o espírito e voltar a pôr tudo em perspectiva. Tente passar todos os dias um pouco de tempo na rua durante o dia para recarregar baterias (e os níveis de vitamina D). Lembre-se que o mesmo se aplica à pessoa de quem cuida, por isso, aproveite se ela gostar de passar algum tempo fora de casa.

Mime-se

Tente mimar-se todos os dias. Todas as manhãs, destine uma altura do dia para satisfazer um desejo seu, alguma coisa pela qual anseie. Pode ser comer uma bolacha de chocolate às 3 da tarde, tomar um copo de vinho ao fim do dia ou tomar um longo banho quente. O que quer que seja, planeie-o, cumpra-o o goze o momento.

Celebre o que faz

Trabalha tanto, mas quantas vezes pensa sobre todo o bem que faz, o conforto, o cuidado e a dignidade que concede à pessoa de quem cuida? É fácil ser apanhado pela rotina e esquecer isto. Por isso, tente lembrar-se de que deve sentir orgulho no que faz; os prestadores de cuidados são um grupo especial que apoia a base da sociedade. Às vezes você, a sua família e os seus amigos precisam de se lembrar disto.

Aconselhe-se junto de organizações profissionais

Pode ser que na área da sua residência haja já centros de dia para adultos ou organizações que prestem cuidados de saúde. Se for o caso, pode ser que tenha a oportunidade de deixar a pessoa de quem cuida em boas mãos enquanto faz uma pausa de algumas horas. Outra vantagem é o facto de a pessoa se poder relacionar com os outros utentes do centro. Muitas destas organizações oferecem transporte, realizam actividades de grupo regulares, como passeios durante o dia, e preparam refeições ligeiras. Podem até mesmo oferecer um serviço de "refeições sobre rodas". Visite o café para mais ideias e conselhos sobre como facilitar a tarefa de cuidar do seu ente querido.

Outras informações úteis incluem farmácias que fazem entregas grátis e algumas escolas, grupos comunitários ou de jovens que têm iniciativas para estudantes/membros. Se estiverem interessados em ajudar a comunidade, podem começar consigo.

Há prestadores de cuidados profissionais na maior parte das zonas que podem ir a sua casa e cuidar da pessoa a seu cargo. Isso irá dar-lhe tempo para estar com amigos ou, simplesmente, cuidar de si. Se quiser ir de férias a qualquer lado, pode ver que lares existem que possam oferecer uma estadia por um período limitado.

Há muitas organizações listadas em Visite links úteis ou pode contactar o seu centro de saúde para saber que serviços de apoio existem na região. Veja o que há na sua zona.

Fale com outros prestadores de cuidados

Procure um grupo de apoio e rapidamente irá encontrar outras pessoas em situação idêntica à sua. Partilhar as suas experiências com quem esteja a passar pelo mesmo ajuda a manter a confiança, além de obter dicas e conselhos úteis.

Veja se tem direito a ajuda

Pode ser que tenha direito a ajuda e apoio financeiro ou a reembolso do Serviço Nacional de Saúde. Olhe para os regulamentos relativos a prescrição/reembolso e veja se se aplica ao seu caso. Se se aplicar, contacte o Serviço Nacional de Saúde.

Mantenha-se informado

Saber que ideias, produtos e técnicas novos existem não só o habilita a poder fazer a melhor escolha para si e para a pessoa de quem cuida, como também o mantém ligado à vasta comunidade dos prestadores de cuidados. Sempre que possível, iremos colocar mais informações sobre notícias relevantes no Quadro de notas.