A pessoa de quem cuido não tem deficiência física, mas devido a doença mental não consegue evitar os acidentes.


 

Tente ser calmo e reconfortante

Se a pessoa de quem cuida tiver um problema mental, como demência ou lesão nervosa que a impeça de perceber quando está na altura de ir à casa de banho, pode ficar muito stressada quando os acidentes acontecem. Ajuda a desdramatizar a situação se conseguir tratar dos acidentes com rapidez, calma e respeito para com a sua dignidade pessoal.

Arranje-lhe um bom produto para incontinência

Arranje um bom produto de protecção para incontinência.
A protecção certa para incontinência assegura que as perdas de urina sejam absorvidas e que as fezes e os odores não se notem, o que ajuda a proteger a roupa, o ambiente onde vivem e a dignidade da pessoa. Os produtos de protecção para incontinência existem em vários tamanhos e níveis de absorção para homens e mulheres. Muita gente acha que as cuecas absorventes que se puxam para cima como umas vulgares cuecas é melhor para quem consegue estar de pé durante a muda, mas se a muda tiver de ser feita com a pessoa deitada, há produtos que facilitam a tarefa para ambas as partes. TENA Flex foi especificamente concebido para tornar a muda de acamados num processo mais rápido e menos exigente para as costas de quem cuida de incontinentes. Visite a Montra de produtos para mais informações sobre este assunto e outros produtos para incontinência.

Ingestão de líquidos

A pessoa de quem cuida pode sentir a tentação de reduzir a quantidade de líquidos que ingere, mas isso pode tornar a urina mais concentrada, prejudicar a bexiga e torná-la mais activa. Diga-lhe que beba tudo o que tiver vontade, de acordo com a sede que sentir. Isso deve ser o suficiente para manter a urina saudável, cor de palha clara. Tal como será de esperar, beber demais faz aumentar a vontade de ir à casa-de-banho, por isso tente manter um ponto de equilíbrio.

Lembre-se de que há bebidas com efeitos diuréticos

É claro que não vai querer cortar nos pequenos prazeres da pessoa de quem cuida, mas é preciso ter atenção à cafeína, ao álcool e às bebidas com gás, que são diuréticos, o que irá dar mais vontade de urinar.

Ir regularmente à casa de banho ajuda a reduzir os acidentes

Se a pessoa de quem cuida se esquece de que precisa de ir à casa de banho, lembre-a disso durante o dia e antes de ir para a cama. Dependendo do estado mental da pessoa, poderá ter de a levar à casa de banho, por isso é melhor escolher roupa fácil de tirar, como saias largas e calças com cintura de cordão, o que facilita muito as coisas.

Mudas e higiene

A pessoa de quem cuida poderá aperceber-se depois do acidente acontecer e pode até conseguir mudar-se sozinha ou precisar de alguma ajuda sua. De qualquer das formas, certifique-se de que tem à mão, na casa de banho, produtos para incontinência novos e um caixote do lixo com tampa para os produtos usados. As cuecas descartáveis que se rasgam de lado tornam a muda mais rápida e os toalhetes húmidos são normalmente mais práticos e suaves para a pele do que o papel higiénico normal.

Cuidados com a pele

A urina pode irritar a pele que, nas pessoas mais velhas, pode ser muito sensível. Os produtos de protecção para incontinência com um elevado nível de absorção e que afastam rapidamente a urina da pele, mesmo se a pessoa permanecer sentada ou deitada durante muito tempo, ajudam a reduzir o risco de irritação cutânea. Se estiver preocupado com a sensibilidade da pele da pessoa de quem cuida, veja a Montra de produtos para uma protecção concebida para reduzir o risco de lesão cutânea.

Estabeleça uma rotina para si e para a pessoa de quem cuida

As pessoas com pouca memória ou uma saúde mental débil sentem-se normalmente mais seguras se tiverem uma rotina, o que pode ajudar a reduzir os acidentes para aqueles que conseguem ir sozinhos à casa de banho de vez em quando. Por isso, vale a pena estabelecer uma rotina em termos de horas de refeição, idas à casa de banho, descanso e actividades de laser, como passeios e ver TV. Também deve ter algum tempo para si, para que a pessoa de quem cuida se habitue a estar sozinha durante esse período, se isso for possível, ou então arranjar alguém que o substitua de vez em quando. Mesmo que a pessoa de quem cuida faça muito pouca coisa durante o dia, uma rotina fixa pode ajudar a reduzir acidentes.

Peça ajuda junto das instituições locais ou de solidariedade

Pode ser que na área da sua residência haja já centros de dia para adultos ou organizações que prestem cuidados de saúde. Se for o caso, pode ser que tenha a oportunidade de deixar a pessoa de quem cuida em boas mãos enquanto fazem ambos uma pausa de algumas horas. Pode ser até que tenham algumas actividades e interesses que não se possam fazer em casa. Muitas destas organizações oferecem transporte, realizam actividades de grupo regulares, como passeios durante o dia, e preparam refeições ligeiras.

Contacte a sua Junta de Freguesia ou Câmara Municipal para obter informação sobre todos os serviços disponíveis na sua área de residência.