Parece estar localizado(a) em <country>

Visite o Site comercial da TENA para obter informação local.

O que esperar

Senhora idosa e senhora mais jovem conversam no exterior – o que esperar quando se torna um cuidador

Desafios comuns

Um membro da família. Um ente querido. Um amigo.  Cuidar de alguém pode ser um desafio. Mas também pode ser bastante gratificante. 
 
Leia sobre os 7 desafios comuns que os cuidadores enfrentam. E obtenha dicas sobre como ultrapassá-los.
1. As suas emoções

A vida pode surpreendê-lo. Tal como as suas reações a essas surpresas. Ao cuidar de um ente querido, caso sinta emoções negativas, tente não se culpar. Ambos estão numa situação completamente nova, na qual é normal sentir emoções negativas, como frustração e revolta. 
 
É útil refletir sobre esses sentimentos. Pense naquilo que pode fazer para evitar situações que causem reações negativas.  
 
Ao compreender os seus sentimentos, pode agir de forma mais eficaz e prestar melhores cuidados ao seu ente querido.

2. Alterações de humor

É possível que se sinta bem num momento, e de repente seja dominado por diversas emoções. É perfeitamente normal. Tenha em consideração que talvez se sinta afetado pelo humor da pessoa de quem está a cuidar. 
 
Como cuidador, está fortemente ligado a essa pessoa. O seu humor pode alterar-se de amor para raiva, de otimismo para pessimismo. É melhor aceitar estes sentimentos negativos e deixá-los passar. Pode ajudar a suavizá-los concentrando-se na atividade de cuidar do seu ente querido. 
 
Uma dica: quando sentir alterações de humor desagradáveis, tente fazer uma pausa, respirar fundo e expirar lentamente. Se possível, faça uma pausa de cinco minutos. Isto irá ajudá-lo a sentir-se melhor. O que irá fazer de si um melhor cuidador.

3. Isolamento

Por vezes, é possível que se sinta isolado. É compreensível. Pode ajudar a ultrapassar esta sensação de isolamento partilhando os seus sentimentos com outras pessoas. 
 
Lembre-se: as pessoas ao seu redor podem ter boas intenções, mas podem não saber como ajudá-lo. Ou talvez tenham medo de o abordar. Fale abertamente sobre as suas tarefas de prestação de cuidados, sem tentar criar um sentimento de compaixão. É muito provável que as pessoas que o ouvem ofereçam a sua ajuda para cuidar do seu ente querido.

4. Problemas de comunicação

Para ajudar alguém, é preciso compreender essa pessoa. Isso poderá ser mais complicado caso a pessoa de quem está a cuidar apresente perturbações mentais como Doença de Alzheimer ou outra forma de demência.
 
Nessas alturas, tente manter-se calmo. Explique-se ou peça à pessoa de quem está a cuidar que explique o que precisa, tantas vezes quantas sejam necessárias para que ambos consigam compreender-se um ao outro 
 
A paciência ajuda a ultrapassar mal-entendidos e o stress de uma fraca comunicação. E isso torna-o num melhor cuidador.

5. Problemas de gestão de tempo

Os cuidadores são multifuncionais, quer queiram, quer não.  Por isso, é importante gerir o seu tempo de forma eficaz. Desta forma pode conservar a sua energia.
 
Se precisa de mais tempo, planeie as suas responsabilidades diárias e semanais. Crie uma lista das principais tarefas e reserve tempo para si.
 
Se precisar de mais energia, mude a sua dieta e certifique-se de que obtém vitaminas suficientes. Tente encaixar uma sessão de exercícios na sua rotina quotidiana – e durma bem.
 
Estas orientações simples irão ajudá-lo a ter uma atitude mais positiva e a aumentar a sua energia para que possa prestar os melhores cuidados possíveis ao seu ente querido.

6. Não descuide as suas próprias necessidades

Quando cuida de alguém, é fácil esquecer-se das suas próprias necessidades. Poderá saltar refeições. Ou dormir menos. Ou fazer menos exercício. Tudo para que possa dedicar mais tempo a cuidar do seu ente querido.
 
Isso terá o efeito oposto daquele que pretende. Ficará demasiado cansado, incapaz de prestar cuidados adequados e eficazes. Lembre-se de cuidar de si:
  • fazendo refeições regulares;
  • dormindo bem durante a noite (cerca de 7 a 9 horas);
  • fazendo exercício regularmente;
Mesmo que não haja limites na quantidade e qualidade dos cuidados que pretende proporcionar ao seu ente querido, é importante que não se descuide. 
 
E tente arranjar mais tempo livre para si no seu plano de trabalhos semanal.
 
Quando cuida bem de si: 
  • irá achar que é mais fácil cuidar do seu ente querido;
  • irá controlar as emoções negativas e evitar a frustração;
  • a pessoa de quem cuida sente uma energia mais positiva.

7. Ficar bloqueado

Sendo que cada situação de prestação de cuidados é única, pode obter perspetivas e dicas conhecendo histórias e pontos de vista de outros cuidadores. Conhecer aquilo por que passaram irá ajudá-lo a sentir-se menos isolado e a desenvolver as suas competências de prestação de cuidados.
 

> Visite a secção de Dicas de outros cuidadores para saber mais.

What are cookies?

Lorem ipsum dolor sit amet lorem ipsum dolor sit amet lorem ipsum dolor sit amet.