Parece estar localizado(a) em <country>

Visite o Site comercial da TENA para obter informação local.

GLOSSÁRIO

Palavras e terminologia da incontinência.

Bexiga fraca

A bexiga fraca é um termo habitualmente utilizado como sinónimo de incontinência e refere-se a qualquer perda involuntária de urina. Embora seja habitualmente utilizado, o termo bexiga fraca não é clinicamente correto, uma vez que a causa das perdas não está relacionada com uma bexiga “fraca”, mas sim com o que se designa por Sintomas do trato urinário inferior (STUI).

Bexiga hiperativa

Uma bexiga hiperativa é uma condição definida pelo sintoma caracterizada pela urgência urinária, com ou sem incontinência urinária de urgência, normalmente com aumento da frequência diária e noctúria.

Incontinência

Incontinência é definida como uma queixa de perda involuntária de urina.

Incontinência de excesso de fluxo

Se tiver um fluxo de urina constante ou intermitente poderá tratar-se de incontinência de excesso de fluxo. Esta situação é causada normalmente por algo que obstrui o fluxo de urina, fazendo com que a bexiga encha demasiado e depois cause perdas.

Incontinência de urgência

A incontinência de urgência é a causa mais comum de perdas urinárias nos homens. A incontinência de urgência é quando sente uma urgência súbita de urinar, mas não consegue reter até chegar à casa de banho. Pode ter de urinar mais do que quatro a oito vezes por dia, além de várias vezes durante a noite. Esta situação está muitas vezes associada ao aumento da próstata ou em resultado de cirurgia à próstata.

Incontinência urinária de esforço

A incontinência de esforço refere-se à queixa de perda involuntária de urina após esforço ou exercício físico ou ao espirrar ou agachar-se. O esfíncter ou músculos de pavimento pélvico e ligamentos que suportam a bexiga são demasiado fracos para aguentar a urina.

Micção

O ato de urinar (esvaziar).

Músculos do pavimento pélvico

Os músculos do pavimento pélvico (ou músculos pélvicos) são um grupo de músculos no interior da pélvis que formam um pavimento entre as pernas. Estão localizados entre o osso púbico (na parte frontal) e a base da coluna (na parte traseira). O enfraquecimento destes músculos pode levar a problemas tais como incontinência urinária e, se o músculo do canal anal for afetado, incontinência fecal.

Pingos

Esta situação é quando sente alguns pingos de urina mesmo depois de ter ido à casa de banho, mesmo que tenha “esperado e sacudido”. Existem dois tipos de pingos, pingos após micção e pingos terminais. Os pingos acontecem porque a bexiga não esvazia completamente enquanto está a urinar. Em vez disso, a urina acumula-se no tubo que conduz à sua bexiga.

Pingos após micção

Os pingos após micção acontecem quando a bexiga não esvazia completamente e continua a deixar passar urina após a micção. Isto também é comum com o alargamento da próstata ou enfraquecimento dos músculos do pavimento pélvico.

Próstata

Uma glândula nos homens que está localizada na base da bexiga. A próstata produz um líquido durante a ejaculação. Muitas vezes, em homens mais velhos, a glândula começa a aumentar e pode obstruir o canal urinário. Um sintoma desta situação é um fluxo mínimo de urina, também conhecido como problemas ao esvaziar a bexiga ou esvaziamento incompleto da bexiga.

Tratamentos de incontinência

Existem muitos tipos de tratamento recomendados para a incontinência urinária. Um dos tratamentos são intervenções ao nível do estilo de vida, tais como treino da bexiga ou exercícios dos músculos do pavimento pélvico (EMPP) que fortalecem os músculos do pavimento pélvico. Alterar a ingestão de líquidos e o padrão de esvaziamento ou perder peso também podem muitas vezes ajudar. Outros tratamentos incluem medicação (ou revisão da medicação), ajudas para a incontinência ou cirurgia. Um procedimento cirúrgico apenas é recomendado após uma avaliação minuciosa e se outras opções de tratamento menos invasivas falharem. Recomenda-se sempre uma avaliação adequada para saber a causa exata da incontinência urinária. Uma pessoa que esteja a ponderar realizar uma cirurgia deve estar consciente dos potenciais riscos, bem como do benefício esperado do procedimento, tal como com qualquer outra intervenção cirúrgica. As ajudas para a incontinência sob a forma de produtos absorventes devem ser utilizadas ao mesmo tempo que se seguem outras intervenções ao nível do estilo de vida ou medicação. As ajudas para a incontinência também devem ser utilizadas, conforme o necessário, quando outros tratamentos tiverem falhado.

What are cookies?

Lorem ipsum dolor sit amet lorem ipsum dolor sit amet lorem ipsum dolor sit amet.