Parece estar localizado(a) em <country>

Visite o Site comercial da TENA para obter informação local.

Glossário

Palavras e terminologia da incontinência.

Bexiga hiperativa

A bexiga hiperativa é um nome descritivo comum para uma variedade de problemas relacionados com urgência. Não significa incontinência, apenas que tem de urinar frequentemente. Uma bexiga hiperativa, por vezes denominada bexiga irritável, normalmente significa que tem uma frequência elevada durante o dia e também noctúria. Não se esqueça, é normal esvaziar a bexiga entre quatro a oito vezes por dia. A bexiga hiperativa é mais comum entre pessoas idosas e nas mulheres.

Bexiga irritável

Bexiga irritável é o nome descritivo de uma diversidade de problemas relacionados com a urgência. Não significa incontinência, apenas que tem de urinar frequentemente. Uma bexiga irritável, por vezes denominada por bexiga hiperativa, normalmente significa que tem uma frequência elevada durante o dia e, por vezes, também noctúria. Não se esqueça, é normal esvaziar a bexiga entre quatro a oito vezes por dia. 

Bexiga neurogénica

Vários músculos e nervos trabalham em conjunto para permitir a continência urinária e um controlo efetivo do esvaziamento da bexiga. As lesões cerebrais, na espinal medula ou nos nervos, decorrentes de trauma ou de uma doença, podem afetar a comunicação entre o cérebro e a bexiga. Qualquer uma destas situações pode resultar numa incapacidade de controlar a bexiga e, por conseguinte, de a esvaziar completamente. 

Bexiga sensível

Frequentemente utilizada para descrever problemas urinários ligeiros ou, mais corretamente, perda de urina.

Diário da bexiga

Também conhecido por diário de ingestão de líquidos e da bexiga. O nível de ingestão de líquidos irá afetar diretamente a quantidade de urina produzida. Ao manter um registo durante três dias sobre quantas vezes urina, a quantidade e quantas vezes bebeu e o tipo de bebidas consumidas e quando, podem ajudá-la a si e aos médicos profissionais a avaliar o nível e tipo de incontinência urinária e tratamento necessário. Por exemplo, a necessidade individual de esvaziar a bexiga mais de oito vezes em 24 horas poderá indicar uma incontinência urinária de urgência ou algo que necessita de ser diagnosticado e tratado.

Enurese

A enurese é a perda involuntária de urina. Caso a incontinência ocorra enquanto dorme à noite, é denominada por enurese noturna.

Exercícios do pavimento pélvico

Os exercícios dos músculos do pavimento pélvico (EMPP) envolvem a contração e relaxamento dos músculos do pavimento pélvico para melhorar o apoio da bexiga e pressão de encerramento da uretra.  Reforçar o pavimento pélvico é a melhor coisa que pode fazer para reduzir o risco de qualquer tipo de incontinência. Os exercícios de pavimento pélvico são, por vezes, denominados por exercícios de Kegel.

Fraqueza da bexiga

Os problemas urinários (também conhecidos por bexiga fraca) é quando existe uma dificuldade em controlar a bexiga, resultando numa perda involuntária de urina. Existem diversos motivos diferentes para os problemas urinários femininos e problemas urinários masculinos. A terminologia médica correta para fraqueza da bexiga é incontinência urinária.

Gestão da incontinência

A gestão da incontinência é ajudar uma pessoa a controlar a sua bexiga ou função intestinal. Isto significa identificar as causas da incontinência (seja temporária ou crónica). Isto inclui pensar sobre os fatores ambientais e apoio necessário, e detetar as condições subjacentes que possam causar a incontinência. De forma a definir objetivos e planear a gestão para melhoria. A gestão da incontinência promove a continência e tem como objetivo prevenir adicionalmente a incontinência com rotinas de cuidados individualizados, higiene e, por vezes, produtos para incontinência.  

Incontinência

Incontinência ou ser incontinente pode referir-se a incontinência urinária ou a incontinência fecal.

Incontinência de stress

A incontinência urinária de stress descreve a queixa de perda involuntária de urina (problemas urinários) após esforço físico.  Este esforço pode incluir esforço físico ou ações como tossir, espirrar ou rir. A incontinência urinária de esforço normalmente envolve apenas pequenas quantidades de urina, embora este fator dependa da quantidade de urina existente na bexiga no momento em que ocorre a pressão abdominal.  Geralmente, a incontinência de esforço está relacionada com o enfraquecimento dos músculos do pavimento pélvico e pode ser o resultado de alterações físicas que ocorrem durante a gravidez, parto e menopausa. Informações adicionais: A incontinência urinária de esforço nas mulheres é também denominada por incontinência urinária de stress ou incontinência de esforço.

Incontinência de urgência

A incontinência de urgência é também conhecida por bexiga hiperativa e refere-se a hiperatividade do músculo detrusor da bexiga.  Este músculo cria uma urgência acrescida, com pouco ou nenhum aviso, e é frequentemente acompanhada por perda de urina. Nos casos mais graves, a dimensão da perda pode ser grande. Poderá sentir que quando a sua frequência urinária aumenta, precisa de urinar mais frequentemente do que as habituais quatro a oito vezes por dia, podendo incluir uma ou mais vezes por noite (também conhecido por noctúria). Em certos casos, o treino da bexiga pode ajudar a urinar com menos frequência. O treino da bexiga pode também ajudar a evitar a micção à noite.

Incontinência funcional

É a incapacidade de chegar a tempo à casa de banho devido às dificuldades causadas por doença física ou mental ou barreiras ambientais.  Poderá dever-se a dificuldades motoras relacionadas com o envelhecimento ou uma deficiência, tal como a incapacidade de tirar a roupa ou de passar de uma cadeira de rodas para uma sanita suficientemente depressa. As barreiras ambientais para chegar a tempo à casa de banho poderão ser uma distância demasiado longa para chegar à casa de banho a tempo ou pessoas confundidas que não sabem como chegar à casa de banho. 

Incontinência mista

Literalmente, são sintomas misturados, normalmente uma combinação de Incontinência de esforço e Incontinência de urgência. A vontade de urinar provoca a contração da bexiga; no entanto, os músculos da região pélvica não estão suficientemente fortes para impedir o esvaziamento da bexiga. Esta situação ocorre frequentemente nas mulheres.  Se tiver os dois tipos de incontinência, normalmente existe uma que é mais problemática do que a outra, por isso deve concentrar-se em lidar primeiro com o sintoma mais frequente.

Incontinência por regurgitação

A incontinência urinária por regurgitação ocorre quando a bexiga não consegue esvaziar-se por completo e fica cheia de urina residual. A obstrução da uretra e/ou um músculo da bexiga que esteja distendido e demasiado dilatado pode causar uma expansão excessiva da bexiga e, consequentemente, perda involuntária de urina (incontinência urinária por regurgitação). O aumento da próstata nos homens é uma causa comum da incontinência urinária por regurgitação. Mas poderão existir outros motivos, como por exemplo, lesões nervosas.

Incontinência urinária de esforço

A incontinência urinária de esforço descreve a queixa de perda involuntária de urina (fraqueza da bexiga) após esforços físicos.  Este esforço pode incluir esforço físico ou ações como tossir, espirrar ou rir. A incontinência de esforço normalmente envolve apenas pequenas quantidades de urina, embora este fator dependa da quantidade de urina existente na bexiga no momento em que ocorre a pressão abdominal.  Geralmente, a incontinência de esforço está relacionada com o enfraquecimento dos músculos do pavimento pélvico e pode ser o resultado de alterações físicas que ocorrem durante a gravidez, parto e menopausa. A incontinência urinária de esforço nas mulheres é denominada incontinência urinária de stress ou incontinência de esforço. 

Menopausa

O período que marca a cessação permanente da atividade menstrual.

Micção

O ato de urinar (esvaziar a bexiga).

Músculos do pavimento pélvico

Os músculos do pavimento pélvico são um grupo de músculos no fundo da cavidade abdominal. Estão localizados entre o osso púbico (na parte dianteira) e a base da coluna (na parte traseira). Também suportam a bexiga e os intestinos. O enfraquecimento destes músculos pode levar a problemas tais como incontinência urinária e, se o músculo do canal anal for afetado, incontinência fecal.

Noctúria

É quando necessita de acordar durante a noite uma ou mais vezes para urinar.

Obstipação

A obstipação é geralmente definida como a dificuldade, atraso ou dor ao defecar e as fezes não precisam de ser duras para que isto aconteça. É bastante comum durante a infância.

Pingos após a micção

Pingos após micção é o termo utilizado quando uma pessoa descreve a perda involuntária de urina imediatamente após ele/ela ter terminado a micção. Nos homens, normalmente isto acontece após saírem da casa de banho e nas mulheres após levantarem-se da sanita. Isto também é comum com o aumento da próstata ou enfraquecimento dos músculos do pavimento pélvico.

Produto dermatologicamente testado

O processo de testar para garantir que os produtos são adequados para a pele sob condições normais.

Reeducação da bexiga

A reeducação da bexiga é uma técnica comportamental concebida para aumentar a capacidade da bexiga e diminuir a frequência de micção. Ao longo do tempo, a bexiga torna-se menos irritável e fica com menor capacidade para lidar com maiores volumes de urina. Um diário da bexiga (também conhecido por diário de ingestão de líquidos e da urina) é o primeiro passo na avaliação de incontinência urinária de urgência e definir um treino para reeducação da bexiga.

Retenção urinária

A retenção urinária deve-se a dificuldades de esvaziamento e significa que ainda existe urina na bexiga após urinar, o que poderá ser causado por, por exemplo, aumento da próstata.  Os sintomas de dificuldades de esvaziamento da bexiga poderão ser um fluxo de urina fraco, podendo incluir um fluxo intermitente, esforço e um atraso entre tentar urinar e o início efetivo do fluxo urinário. Sendo que a bexiga se mantém cheia, isto poderá conduzir a incontinência por regurgitação.

Tratamentos de incontinência

Existem muitos tipos de tratamento e métodos recomendados para a incontinência urinária. Um dos tratamentos são intervenções ao nível do estilo de vida, tais como, treino da bexiga ou exercícios dos músculos do pavimento pélvico (EMPP) que fortalecem os músculos do períneo. Alterar a ingestão de líquidos e o padrão de esvaziamento ou perder peso também pode muitas vezes ajudar.

Urina residual

Urina que fica na bexiga após urinar. 

Urinar na cama

Urinar na cama ou enurese noturna é a micção involuntária ao dormir após a idade na qual manter-se seca durante a noite é a situação mais expectável.  Noctúria é a necessidade de urinar frequentemente durante a noite.

What are cookies?

Lorem ipsum dolor sit amet lorem ipsum dolor sit amet lorem ipsum dolor sit amet.