Dicas gerais para professores e pais

Encontra aqui algumas dicas úteis sobre como lidar com os problemas urinários da criança, recolhidas junto de pais, enfermeiros e professores.

Dica 1 – Seja paciente. Sabemos que não é fácil, mas seja paciente. A maior parte das crianças acaba por deixar de fazer chichi na cama, e se a criança tiver até 5 anos, isso não é motivo para preocupações.

Dica 2 - Tenha calma e dê-lhe o seu apoio. Lembre-se que as crianças são muito sensíveis à impaciência, ao aborrecimento e à ansiedade.

Dica 3 – Explique-lhe como são os problemas urinários comuns. A criança pode sentir-se isolada e preocupada por pensar que o seu problema é grave. Diga-lhe que deve haver colegas de escola a passar pelo mesmo, mas que podem não lhe contar. O que se passa é que a bexiga ainda não está a funcionar como deve ser.

Dica 4 – As explicações dão segurança à criança, por isso dê-lhe uma aula de biologia (pode servir-se das informações abaixo). No caso de crianças mais novas, pode explicar-lhe como se estivesse a contar uma história: "A sr.ª bexiga ainda está a aprender a trabalhar e a conhecer os seus colegas… em breve toda a gente irá dar-se bem e perceber o que tem a fazer para que tudo funcione na perfeição." Perceber como as coisas funcionam e saber que tudo vai acabar por melhorar pode acabar com o mistério e com o medo que a situação implica. Se precisar de mais informações, vá a Causas.

Dica 5 – Lembre-se de que a criança deve continuar a ingerir líquidos sempre que tenha sede. Pode parecer estranho, mas reduzir a ingestão de líquidos tende a tornar a urina mais concentrada, o que pode aumentar as irritações e os problemas. Por isso, deixe a criança beber normalmente, embora, se possível, não imediatamente antes de ir para a cama.

Dica 6 – Para os pais: por que não contar aos professores que o seu filho sofre de enurese diurna para que o possam ajudar e garantir o fácil acesso à casa de banho da escola? Outra boa ideia é terem sempre uma muda de roupa interior na mochila do ginásio ou da escola.

Dica 7 – Se você ou um dos seus irmãos teve problemas do género, diga-o à criança. Dá-lhe esperança e ajuda-os a perceber que outras pessoas passaram pelo mesmo e que se tratou apenas de uma fase temporária.

Dica 8 – Lidar com as provocações. As crianças podem ser cruéis umas para as outras, especialmente no que toca ao chichi na cama. Por isso, é importante explicar (sem criticar) que toda a gente tem diferenças físicas: alguns vêem mal, outros têm alergias, outros, sinais de nascença, etc.  Lembre à criança que: "Cada pessoa se desenvolve em fases diferentes, e isso não se pode controlar. Contudo, ser agradável para as pessoas e ajudá-las quando estão vulneráveis é algo que todos podem controlar."

Dica 9 – Não deixe que fazer chichi na cama seja a principal característica da criança. A criança pode ser um actor, um artista, um desportista, um explorador, um protector ou um diabrete, mas nunca "o que faz chichi na cama".