Parece estar localizado(a) em <country>

Visite o Site comercial da TENA para obter informação local.

Prostatite, o que é e como curá-la


Explicamos-lhe quais são os sintomas, que tipos existem e como preveni-la e tratá-la.

Prostatite, o que é e como curá-la

O que é

Se sente dor ou sensação de ardor ao urinar, dificuldade ao fazê-lo ou necessidade de ir frequente à casa de banho ou de forma urgente, é possível que padeça de prostatite, uma inflamação da próstata que também pode provocar dores no abdómen, nas virilhas ou zona lombar, bem como no períneo (região entre o escroto e o reto), o pénis ou os testículos. Urina turva, sangue na urina ou dor ao ejacular são outros sintomas da inflamação.

Infeções da bexiga ou da uretra, e as de transmissão por via sexual, SIDA/VIH, ter-se submetido a uma biopsia da próstata, ter um traumatismo pélvico ou usar uma sonda uretral são alguns dos fatores de risco desta doença que pode afetar homens de todas as idades, ainda que seja mais frequente a partir da meia idade. Ainda que nem todos os tipos de prostatite possam ser prevenidos, pode ajudar a evitá-la com uma boa higiene pessoal.

De acordo com a causa, a prostatite pode aparecer de forma repentina (no caso da aguda, que costuma melhorar rapidamente), ou gradual (as crónica pode durar três ou mais meses). Se sente dores, consulte o seu médico o mais rapidamente possível porque se não for tratada adequadamente, pode tornar-se crónica. Às vezes a prostatite é confundida com uma doença sexualmente transmissível, por isso é importante fazer análises para que seja corretamente diagnosticada.


Como se cura

Na maioria dos casos, em homens com mais de 35 anos a E. coli e outras bactérias comuns são a causa da prostatite, que pode começar no epidídimo (um pequeno canal situado acima dos testículos) ou na uretra.

Quando se deve a uma infeção bacteriana, a prostatite pode ser tratada com antibióticos, que serão administrados via oral durante 4 a 6 semanas, ainda que por vezes o tratamento tenha que ser alargado. Caso contrário, estaremos perante uma prostatite não bacteriana crónica, que pode dever-se a perturbações no esvaziamento da bexiga, a irritação causada por um refluxo da urina na direção da próstata ou problemas nos músculos do pavimento pélvico. O seu tratamento é mais difícil e costuma consistir no controlo dos sintomas.

Dentro da bacteriana, a prostatite aguda é tratada com medicamentos e algumas alterações alimentares, ainda que possa reaparecer ou necessitar hospitalização, sendo neste caso administrados antibióticos por via intravenosa em forma de soro. Em alguns casos poderiam ser receitados anti-inflamatórios para combater a dor. Por vezes, a situação dura meses ou reaparece, dando lugar a uma prostatite crónica.

Artigos relacionados

Sair quando se tem perdas urinárias

Muitos homens com perdas urinárias preocupam-se quando se trata de atividades sociais. O medo das perdas urinárias pode ser um obstáculo, mas com um plano apropriado, poderá manter-se protegido contra as perdas e manter a confiança.

Manter-se ativo com perdas urinárias

Existem muitas formas de manter o controlo e continuar a vida como quer, independentemente do tipo de perdas urinárias que tem.