Hormonas e alimentação: uma estreita relação

O corpo produz hormonas para regular os sistemas e os processos fisiológicos, mas os alimentos podem alterar estes sistemas. Saiba como as hormonas presentes nos alimentos de maneira natural podem contribuir para este ecossistema e ajudá-lo a gozar de uma boa saúde.

Alimentação e hormonas masculinas

Há anos que se sabe que o que ingerimos pode afetar a vários níveis a produção e secreção de hormonas:

  • Por ações diretas no intestino;
  • Por reflexos nervosos;
  • Por mudanças na concentração de metabolitos no sangue;
  • Por mudanças nos níveis circulantes de hormonas intestinais.

Um equilíbrio hormonal adequado é vital para o correto funcionamento do organismo e existe uma ampla evidência científica sobre os benefícios de se incorporar certos alimentos na nossa dieta para restaurar ou alterar essa composição hormonal. Fazer uma deita bem equilibrada é sempre essencial, mas muito mais a partir dos 50 anos.

E além disso deve saber que não é só importante a composição da dieta, mas também aspetos tão diversos como a textura, a quantidade ou mesmo o tempo que dedicamos a comer.

A importância de uma dieta saudável para o nosso bem-estar

Em qualquer etapa da vida, é muito importante fazer uma dieta saudável que contribua para o nosso bem-estar. E não é só importante evitar certos hábitos (comer mais calorias do que as que queimamos apenas conduz a um aumento de peso), mas sobretudo incorporar rotinas equilibradas. Ingerir alimentos saudáveis é primordial.

O investigador de nutrição Neal Barnard salienta no seu livro Your Body in Balance como por detrás de aspetos tão quotidianos como a infertilidade, o aumento de peso, os sintomas da menopausa, o cancro da próstata, os problemas da tiroide ou o acne estão desequilíbrios hormonais ocultos provocados pelos alimentos que comemos.

E se na origem de um problema de anos de infertilidade inexplicável ou do surgimento de um cancro de próstata se escondesse simplesmente uma alimentação deficiente? Talvez a solução (ou o problema) estivesse naquilo que comia, porque um desequilíbrio hormonal pode estar a contribuir ou até a causar um problema de saúde e este talvez se pudesse remediar com uma boa dieta.

A verdade é que está demonstrado que os alimentos e as hormonas desempenham um papel importante na fertilidade, nos cancros relacionados com as hormonas sexuais, no equilíbrio da tiroide, na diabetes tipo 2 e na regulação do metabolismo.

Alimentos para aumentar a testosterona

A testosterona é uma hormona masculina que afeta o nosso organismo de muito mais formas que apenas as dimensões sexuais, pois além da produção de espermatozoides também influencia decisivamente a saúde óssea e muscular, a prevenção de cancros ou mesmo o crescimento do cabelo.

Um equilíbrio geral das hormonas é importante para controlar os níveis de testosterona, o que incontestavelmente passa por ter uma dieta bastante equilibrada e rica em nutrientes. E estes devem ser alguns dos alimentos que nunca devem faltar na sua despensa:

  1. Atum: rico em vitamina D, está relacionado com uma vida mais longa e com a produção de testosterona. É também um alimentos rico em proteínas, saudável para o coração e baixo em calorias. Pode comê-lo enlatado ou fresco.
  2. Leite meio gordo com vitamina D: costuma-se incentivar as mulheres a beber leite para melhorar a saúde óssea, mas o leite pode também fortalecer os ossos dos homens. Selecione versões desnatadas ou com pouca gordura.
  3. Gemas de ovo: apesar ter má reputação por causa do colesterol, a gema do ovo contém mais nutrientes que as claras. Sempre que não tenha problemas de colesterol, o consumo deste alimento pode ser estupendo.
  4. Cereais enriquecidos: se tem de vigiar o nível de colesterol no sangue, esta é uma excelente opção. Prefira os enriquecidos com vitamina D e comece o dia da melhor forma.
  5. Ostras: o zinco é um nutriente essencial durante a puberdade e os seus efeitos podem manter as hormonas masculinas sob controlo durante a idade adulta. Ofereça a si mesmo este luxo!
  6. Mariscos: uma dose ocasional de caranguejo ou lagosta pode ajudar-nos decisivamente a equilibrar as nossas hormonas. Isto deve-se em parte ao alto teor de zinco.
  7. Frijoles: muitas leguminosas (grão de bico, lentilhas ou feijão) são consideradas boas fontes de zinco e, particularmente, os frijoles ajudam também a proteger o nosso coração.

A relação entre hormonas e alimentação é muito estreita. Seguir uma dieta saudável ajuda-nos a manter um melhor equilibro do corpo e, por conseguinte, uma melhor saúde.

 
 

Artigos relacionados

Enfrente os 50 sem receios

Um dia acorda de manhã e tem 50 anos. Um número tão redondo e pesado que as pernas até tremem. Descontraia... é só um número. Ainda que tenha de se deparar com uma série de desafios físicos e psicológicos, estes podem ser os melhores anos da sua vida.