Parece estar localizado(a) em <country>

Visite o Site comercial da TENA para obter informação local.

Mês da saúde masculina 2020: os homens também têm pavimento pélvico


O pavimento pélvico é considerado habitualmente como um “assunto de mulheres”. Mas sabiam que os homens também têm pavimento pélvico? E se não estiver a funcionar corretamente, os problemas não tardarão em chegar...

Gotejamento pós-micção

O pavimento pélvico é considerado habitualmente como um “assunto de mulheres”. Mas sabiam que os homens também têm pavimento pélvico? E se não estiver a funcionar corretamente, os problemas não tardarão em chegar...

Por exemplo, estamos em a pensar em complicações da bexiga, problemas intestinais, disfunção erétil ou dor nos genitais e na pélvis. São problemas com solução, mas que requerem a consulta de um especialista, além de um tratamento apropriado que conte com a implicação do paciente.

A seguir, apresentamos várias perguntas e respostas para que possa saber tudo sobre o pavimento pélvico masculino:



1. Como funcionam nos homens os músculos do pavimento pélvico?

Os músculos do pavimento pélvico estão situados na base da pélvis e limitados na parte da frente pelo osso púbico e na parte detrás pelo coxis. Abrigam-se debaixo da bexiga e do intestino e contraem-se e relaxam-se para ajudar a abrir e fechar a uretra e o reto, controlando desta forma o funcionamento da bexiga e dos intestinos.


2. Porque pode falhar o pavimento pélvico masculino?

O pavimento pélvico de um homem pode estar muito debilitado ou muito tenso. Uma eventual fragilidade deve-se a muitos anos a levantar objetos pesados, casos de obstipação e esforço, sofrer de tosse crónica, excesso de peso, inatividade ou dos próprios efeitos associados ao envelhecimento.
 
Por outro lado, um pavimento pélvico tenso ou “hiperativo” é bastante menos reconhecido, mas muito mais comum do que se possa pensar. Detrás desta tensão podem estar circunstâncias como o stress ou ansiedade, exercitar em excesso os músculos da zona, passar demasiado tempo sentado ou a andar de bicicleta, ou também o padecimento de dor, trauma ou cirurgia na região pélvica, como pode ser o caso de uma vasectomia.

3. Que problemas se atribuem a um pavimento pélvico que não funciona corretamente?

Quando os músculos do pavimento pélvico não funcionam como deve ser, podem ocorrer vários problemas. Um dos mais frequentes está relacionado com a bexiga: perdas acidentais de urina, incontinência, necessidade urgente de ir à casa de banho, urinar muitos vezes, acordar durante a noite para urinar, dificuldades no fluxo de urina, gotejamento, etc.
 
Também surgem os problemas intestinais, a necessidade de ter de se esforçar para esvaziar os intestinos, e a dor pélvica, que pode chegar a tornar-se crónica. Podem surgir ainda dor no ânus, testículos ou pénis, dor ao sentar-se e dor ao ejacular, ou ter uma ereção no momento do orgasmo.
 
A disfunção erétil é outro problema claramente associado a anomalias no funcionamento do pavimento pélvico e manifesta-se em coisas como dificuldade na ereção ou ejaculação precoce.

4. Como saber se um pavimento pélvico apresenta anomalias?

A única forma de saber como estão a funcionar os músculos da zona é fazer um exame com o auxílio de um fisioterapeuta especializado em pavimento pélvico. Deve fazer-se um exame retal ou uma ecografia do períneo (a zona situada entre o escroto e o ânus) para examinar o estado dos músculos do pavimento pélvico e avaliar como estão a funcionar.


5. Como resolver um problema do pavimento pélvico?

Depois de diagnosticado o problema e localizada a anomalia do funcionamento do pavimento pélvico (a determinação de se os músculos pélvicos estão muito debilitados ou muito tensos), recomenda-se um programa de exercícios pensados especificamente para o paciente.

Deveria ser um tratamento individualizado, ajustado às necessidades do paciente e garantindo um cumprimento da terapia. Há que ter em conta que o fortalecimento ou relaxamento de um músculo requer tempo e compromisso. Muitas vezes o tratamento pode ir até aos seis meses ou mais.


6. Consulte um profissional especializado

Apesar de menos comum do que nas mulheres, o pavimento pélvico é também um problema dos homens. Muitas das suas disfunções vêm acompanhadas por dor e por uma diminuição significativa da qualidade de vida. Mas ao contrário das mulheres, que estão mais despertas para os problemas do pavimento pélvico, muitas vezes os homens não os sabem identificar nem sabem quem devem exatamente consultar para resolver este tipo de problemas.

Não é necessário sofrer em silêncio nem procurar métodos milagrosos, daqueles que tanto abundam pela Internet. Se um homem padece de problemas da bexiga ou intestinal, disfunção erétil ou dor na pélvis, o primeiro que deve fazer é consultar o médico de família para fazer uma avaliação e consultar um fisioterapeuta especializado em pavimento pélvico. Este será o começo do fim de um problema com solução.

Artigos relacionados

Manter-se ativo com perdas urinárias

Existem muitas formas de manter o controlo e continuar a vida como quer, independentemente do tipo de perdas urinárias que tem.

Como falar sobre perdas urinárias

Falar sobre assuntos pessoais pode ser desconfortável, mas a chave para encontrar uma solução é um diálogo sincero e franco com o seu médico e com as pessoas que lhe são mais próximas.