Da incontinência à cistite: aprenda a detetar complicações urológicas e a tratá-las

A partir dos 20 anos, um homem pode começar a ter problemas urológicos, mas é a partir dos 50 que começam a ser mais frequentes. Fundamental é detetá-los e tratá-los a tempo para evitar complicações mais graves.

Da incontinência à cistite: aprenda a detetar complicações urológicas e a tratá-las

Contamos-lhe que complicações são estas e como as pode detetar a tempo:

 

1. Incontinência, um transtorno muito associado à idade

O que é: perda involuntária de urina

A quem afeta: a prevalência é maior com a idade ou devido a uma intervenção cirúrgica,  independentemente do sexo. Se entre os 50 e 60 anos afeta 25% das pessoas, nos maiores de 80 a percentagem supera os 50%.

Quais são os sintomas: a causa determina o tipo de incontinência que se tem. Pode ser de esforço (tossir, rir, exercício físico), de urgência (necessidade imperiosa de urinar), funcional (por algum tipo de deterioração física ou mental) ou mista (a combinação de vários tipos de incontinência).

Tratamento: regular a ingestão de líquidos, vigiar o peso, não fumar, aprender a relaxar, praticar os exercícios de Kegel, utilizar protetores absorventes de qualidade e, antes de mais, consultar o médico. Está proibido ter vergonha.

2. Prostatite e o risco de uma infeção aguda

O que é: inflamação da glândula prostática que causa uma série de sintomas associados à micção.

A quem afeta: pode surgir em qualquer idade, mas especialmente a partir dos 50.

Quais são os sintomas: começa por alterações urinárias (dificuldade em urinar, urgência, retenção ou mesmo dor) ou sexuais (diminuição do desejo, disfunção erétil, ejaculação dolorosa...).

Tratamento: os antibióticos são o remédio mais eficaz. É importante uma deteção precoce para evitar uma infeção aguda que requer hospitalização.

3. Uretrite, uma das mais frequentes infeções sexualmente transmitidas

O que é: inflamação da uretra, o canal responsável por transportar a urina para fora do corpo.

A quem afeta: é causada por bactérias ou vírus, como a clamídia ou a gonorreia. É uma das infeções sexualmente transmitidas mais comum, embora na maior parte das vezes o patogénico não chega a ser identificado

Quais são os sintomas: sangue na urina, dor durante a micção, sensação de urgência, dor durante as relações sexuais.

Tratamento: com antibióticos e anti-inflamatórios não esteroides.

4. Pedras nos rins, uma dor que pode ser insuportável

O que é: são massas compostas por pequenos cristais que se alojam nos rins e podem causar dores terríveis.

A quem afeta: mais de 10% da população passará por algum episódio deste tipo, sendo mais provável nos homens do que nas mulheres. A dieta e os antecedentes familiares são fatores de risco.

Quais são os sintomas: variam segundo o tamanho e a localização, mas costumam provocar dor intensa na zona lombar e flanco, sangue na ruina, náuseas, dor na micção ou febre, entre outros.

Tratamento: o tratamento depende de cada caso. Tanto pode ser suficiente beber muita água para propiciar a expulsão da pedra como necessário aplicar calor para diminuir as dores, prescrever diuréticos ou antibióticos. O caso mais extremo é a cirurgia, quando as pedras são grandes ou de difícil acesso.

5. Cistite, não é apenas um problema de mulheres

O que é: inflamação da bexiga.

A quem afeta: é predominantes nas mulheres, mas a percentagem de casos nos homens aumenta a partir dos 50. Pode estar relacionado com o aumento do tamanho da próstata, diabetes ou um estreitamento anormal da uretra, entre outros.

Quais são os sintomas: necessidade constante de urinar, sensação de ardor na bexiga, sangue na urina, odor forte, incómodos pélvicos, febre.

Tratamento: depende da causa, mas os antibióticos costumam ser muito eficazes. É conveniente manter-se bem hidratado e evitar café, álcool e refrigerantes, entre outros.

Artigos relacionados

Enfrente os 50 sem receios

Um dia acorda de manhã e tem 50 anos. Um número tão redondo e pesado que as pernas até tremem. Descontraia... é só um número. Ainda que tenha de se deparar com uma série de desafios físicos e psicológicos, estes podem ser os melhores anos da sua vida.